• Blog do Curso de Teologia

Unicatólica > Blog do Curso de Teologia > MENSAGEM > Confraternização pelo Dia do Teólogo
Confraternização pelo Dia do Teólogo
MENSAGEM

Confraternização pelo Dia do Teólogo

No dia 30 de novembro, o curso de Teologia da UNICATÓLICA promoveu uma confra­ternização pelo dia do Teólogo. O evento contou com a presença do corpo docente e discente do curso, do Vice-Reitor Renato Moreira Abrantes e do Pró-Reitor de Gradua­ção e Extensão Marcos Augusto Nobre. Ainda, estiveram presentes e discursaram o Chanceler da UNICATÓLICA e Bispo Diocesano, Dom Angelo Pignoli, e Dom Adélio Tomasin, bispo emérito de Quixadá, que foi homenageado por ter iniciado o curso de Teologia na UNICATÓLICA.

Mensagem por ocasião do Dia do Teólogo

Creio que para todos nós esta data tenha uma importância especial, não porque estejamos envolvidos diretamente com a teologia, apenas, mas porque é propícia para pensarmos de novo a missão do teólogo na Igreja. Certamente não se trata de uma profissão, mas de uma vocação específica e de um serviço concreto e especialíssimo, pois consiste no serviço à verdade.

A instrução Donum Veritatis da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé afirma que “Entre as vocações suscitadas na Igreja pelo Espírito, distingue-se a do teólogo, que em modo particular tem a função de adquirir, em comunhão com o Magistério, uma compreensão sempre mais profunda da Palavra de Deus contida na Escritura inspirada e transmitida pela Tradição viva da Igreja” (n. 6). Na humildade do crente, o teólogo aproxima-se do dado revelado, para compreender, nos “gestos e palavras intrinsecamente conexos” do agir de Deus, o mistério da vontade divina. A teologia é uma ciência sublime, pois, como afirma o Doutor angélico na Prima Quaestio da Suma Teológica, ela é o conhecimento que se refere a Deus e a tudo o mais, enquanto se relaciona com Ele; pelo conhecimento da revelação temos acesso ao saber que o próprio Deus tem de si e que os bem-aventurados, na visão beatífica, têm de Deus.

O teólogo, portanto, não trabalha em laboratório, controlando medidas, observando empiricamente um dado objeto, ou até mesmo postulando uma neutralidade positivista, porquanto sua reflexão tem como meta a Deus, que se revelou a nós, atingindo a plenitude em Cristo. Por isso, “o empenho teológico exige um esforço espiritual de retidão e de santificação” (DV, 9). A busca da verdade tem como consequência a conformação a ela pela caridade. Os grandes teólogos foram também grandes amantes, que irradiaram a luz da verdade e da caridade. De fato, o fides quaerens intellectum de S. Anselmo continua sempre válido, mas a teologia não é somente a fé que quer compreender, é também, conforme S. Boaventura, o amor que deseja conhecer, que deseja ter razões.

Por tudo isso, parabenizamos a todos quantos se dedicam ao estudo da Ciência Sagrada. De modo particular, queremos agradecer a D. Adélio pela inciativa de ter fundado aqui, em Quixadá, o curso de Teologia, do qual hoje somos beneficiários. Agradecemos a todos os professores, cuja dedicação e empenho no esforço diário possibilitam-nos aprofundar a fé e compreender as razões da nossa esperança (Cf. 1Pd 3, 15). Somos gratos também a todos os discentes, especialmente àqueles que este ano concluem o curso teológico. Aqui, nesta instituição, preparamo-nos intelectualmente seja para exercermos o Sacerdócio ministerial, seja para um maior comprometimento como leigos na pastoral.

Hoje, em tempos tão confusos, onde a verdade mais parece uma imposição sem sentido do que a força libertadora de Cristo, estejamos sempre mais atentos aos sinais dos tempos, preparemo-nos para responder à altura dos grandes desafios da atualidade, colaborando, em profunda sintonia com o Magistério, para apresentar aos homens a verdade que é Cristo.

Por fim, concluo esta mensagem com um trecho da oração que S. Tomás fazia antes de estudar:

 

Concede mihi, misericors Deus,

quae tibi placita sunt ardenter concupiscere,

prudenter  inuestigare,

ueraciter agnoscere

et perfecte implere.

 

Concede-me, Deus misericordioso, aquilo que te agrada ardentemente desejar, prudentemente investigar, verdadeiramente conhecer e perfeitamente consumar.

Que Maria Santíssima, Rainha do Sertão e Sede da sabedoria, nos acompanhe em nossos esforços e trabalhos.

Seminarista Rodrigo Rêmulo Leite Pereira

II semestre de Teologia

 

 

 

Por: jefferson

Deixe seu comentário